Espelhos deformados




Quantas das vezes, nós mesmos somos responsáveis por uma autoimagem fragilizada e deteriorada, e não porque você seja um vilão de si mesmo, mas que as circunstâncias que você viveu faz com que você aceite o que a circunstância difícil te oferece e pensas que não pode ser uma pessoa melhor e viver algo melhor em sua vida. Isso envolve até autoestima porque quando uma pessoa tem uma alta autoestima é tida como arrogante, metida, pois nós, brasileiros, desde sua raiz aprendemos que devemos conviver sempre escravos, por exemplo, ter uma autoestima escrava da aceitação das pessoas, das circunstâncias que estamos inseridos e temos um preconceito no quesito que só quem tem condições financeiras melhor deve ter uma boa autoestima, pois quem não tem condições financeiras está subjugado a ter uma baixa autoestima e ser estigmatizado de feio, pobre e infeliz. Contudo, não podemos deixar que essas barreiras mentais, estruturas de pensamentos, venham reger a nossa consciência, a nossa moral e as nossas virtudes, até mesmo, o modo que enxergamo-nos e a forma que enxergamos a vida.
(Referência: 2 Samuel 9)
Na Bíblia, vemos um homem chamado Mefibosete, neto de Saul e filho de Jônatas, era aleijado, pois o seu servo quando era criança quando fugiu com ele acabou deixando-o cair e ficou aleijado dos pés e ficou vivendo em Lo-Debar. Quando Davi se lembrou do juramento que fez a Jônatas, pai de Mefibosete estava à procura de possíveis descendentes de Jônatas para que agisse com benevolência, e encontraram a Mefibosete que estava morando em Lo-Debar e mandou chamá-lo. O interessante é que Mefibosete estava morando em Lo-Debar que significa terra sem pasto e o que Mefibosete esperava e aceitava era o que fora imposto a ele: ficar esquecido, sem ser lembrado, pois tinha medo e insegurança em seu coração, até mesmo, o que as pessoas pensavam a respeito, pois ele tinha sangue nobre, mas vivia como um esquecido, um homem sem dignidade e sem honra, e isso era tão comum a ele porque desde pequeno estava submetido àquela situação trágica, insegura e precária, de modo que, quando foi chamado pelo Rei Davi temeu a própria vida e ao ficar defronte a Davi se intitulou como “cão morto” e que Davi não precisaria se preocupar com ele, mas Davi restaurou a vida de Mefibosete, as suas posses que eram de direito e ficou sempre sentando à mesa do Rei.
Mefibosete tinha uma autoimagem deformada, deteriorada e fragilizada, devido às circunstâncias que estava submetido, mas o Rei Davi simboliza Deus em nossas vidas, pois nos momentos em que sentimo-nos fragilizados, a autoimagem destruída, quando ficamos sem vontade de viver, sem mais sentir a dor, pois a dor virou costume, que acostumamo-nos ao ambiente de esquecimento, de ficar sem honra, sem dignidade e favor, então, Deus olha para nós, pois Ele enviou o seu filho Jesus Cristo para morrer ao nosso favor e venhamos ter uma vida digna e liberta, sendo assim, Deus vem e restaura a nossa dignidade, tirando-nos do lugar que escraviza a nossa vida, o nosso ser e a nossa autoimagem, dar o que é de direito a nós restaurando as nossas vidas e trazendo prosperidade moral, física e espiritual para que entendamos que não somos cães mortos, mas filhos dignos e especiais para Deus, pois não é o lugar, até mesmo, o modo que vemo-nos e o que enfrentamos que vai determinar o agir de Deus, pois Deus não olha as circunstâncias, mas olha a nossa vida, a estabilidade do nosso ser e como estamos, porque Ele leva a sério o nosso bem-estar e mostra a nós que somos amados por Ele e quando Ele restaura a nossa dignidade, o nosso olhar e a nossa vida tudo aquilo que estava deficiente em nós, Deus cura, transforma e restaura, pois Ele não quer que fiquemos amargos, mas sim curados, felizes e tratados por Deus para viver bem e realizados. O nosso lugar é sentando a mesa de Deus e termos amizade, intimidade com o Senhor e conhecer o coração do Senhor. Tudo que no passado deformou a nossa vida e caminhar quando entregamos a nossa vida a Jesus tudo é apagado e Ele nos dá uma nova história e um futuro certo e próspero.
Por isso, hoje, peça a Deus que venha ao Teu encontro e tudo que você vê em você e vê que está deformado, o Senhor abrirá os seus olhos, curará as tuas feridas e trará alegria, dignidade, honra e favor para que possamos ser livres em Jesus e fazermos a sua obra da melhor maneira possível, ou seja, como Ele quer que estejamos: plenos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As aflições da alma

Não despreze as profecias e os profetas

Alegria da salvação

Os propósitos de Deus

Destronando o espírito de Dalila

A bondade de Deus

Um resumo do Hino Nacional

Deus do Impossível